Notícias

Compartilhe:

Qual é a sua moto?

Qual é a sua moto?

Confira dicas valiosas para comprar sua moto antiga

Imagem: Bebel Ritzmann/NCA Comunicação Imagem: Bebel Ritzmann/NCA Comunicação

A decisão de comprar uma moto antiga em boas condições, ou mesmo para restaurar, é uma verdadeira declaração de amor pelo mundo das duas rodas. Em primeiro lugar requer um pouco de pesquisa e muita dedicação para encontrar a marca e o modelo de motocicleta desejado. Em segundo lugar, principalmente, após estar com sua máquina do passado na garagem, é preciso ter em mente que uma moto antiga é o mesmo que um item de coleção, uma joia rara, e não um veículo de utilidade para o dia a dia.
 
As motos antigas são importantes porque são verdadeiras testemunhas da evolução tecnológica nos meios de transporte e porque ajudam a contar a história do mundo das duas rodas, além de nos fazerem lembrar daqueles modelos que já saíram de circulação e não podem mais ser encontrados no mercado. A preservação de motocicletas clássicas e históricas é uma questão intrigante e que divide opiniões, mas o apelo emocional e a paixão que desperta em alguns motociclistas é um sentimento único, dificil de descrever.
 
A sinergia chega a tanto que as motocicletas podem ter mais valor afetivo que econômico para seus donos, como pode ser visto em alguns exemplos com clássicos como Honda CB 750 (sete galo) e Yamaha RD 350 (Viúva Negra). Por isso é uma missão extremamente difícil comprar uma moto de alguém que coleciona motocicletas. Portanto, achar uma moto antiga em bom estado ou condição de originalidade para comprar não é uma tarefa das mais simples. O processo mais comum é adquirir uma motocicleta para restauração.

Assim como acontece com os carros raros e clássicos (com mais de 30 anos de fabricação e que preservam suas características de originalidade), as motos antigas podem receber uma certificação ou um documento de distinção no mercado, que é concessão da tão desejada placa preta, que serve como uma identificação de veículo de colecionador.
 
Para conseguir a placa preta na moto é preciso procurar uma instituição certificadora como clube reconhecido (se não tiver da marca da sua moto, em alguns casos, pode ser de carro também) que vai examinar a moto, que, assim como carro, precisa apresentar pelo menos 80% de características originais para conquistar a distinção.
 
O processo de concessão da placa preta pode levar um mês ou até mais e pode custar por volta de R$ 2 mil, em função de vistorias, pesquisas e levantamento de documentações. Com a aprovação em mãos, além do status de distinção com a plaqueta, a moto antiga pode receber uma boa valorização, em função da raridade modelo e do tipo de fabricante.
 
A recomendação para quem tiver dificuldades em encontrar um clube na sua região para ajudar no processo de concessão da placa preta para a sua moto pode entrar em contato com o Veteran Motorcycle Club do Brasil (fb.com/veteranmotorcycle) e a Federação Brasileira de Veículos Antigos (fbva.com.br). As regras que tratam da placa preta em veículos estão na Resolução 56/1998 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran).
 
Quem pretende comprar uma moto antiga para trabalhar como hobby no processo de restauração da motocicleta pode contar com as lojas especializadas na região da rua General Osório, importante polo do setor das duas rodas, que fica na região central da cidade de São Paulo. Por lá é possível garimpar peças e cuidar da manutenção da sua moto antiga.
 
fonte: moto.com.br, com informações do NCA Comunicação (escrita por Bebel Ritzmann)